• Admin

Bem vindo 2018! O Futuro atinge a maior idade



Então... Nosso tão esperado milênio atinge sua maior idade. Vivemos nestes últimos anos não uma era de mudanças, mas sim uma mudança de era. E o futuro, que tanto imaginamos, invadiu nossas vidas, nossas casas, nossos condomínios e continuará a invadir cada vez mais e com uma velocidade exponencial. Precisaremos nos adaptar, buscar conhecimentos, atualização e realizar investimentos para trazer as comodidades que a tecnologia nos proporciona para facilitar a vida nos condomínios.


Em Novembro de 2017, ocorreu em Porto Alegre/RS, a SindExpo, uma feira para fornecedores de produtos e serviços para Condomínios, voltada para Síndicos e Administradores de condomínios, realizada no Centro de Eventos da PUC, onde proferi a palestra: “Os desafios da Gestão de Condomínios numa era de transformações”, abordando exatamente este tema. O condomínio e como será a gestão do futuro.

Apresentei algumas considerações e constatações em relação à tecnologia, meio ambiente e o impacto das transformações nas relações e na gestão dos condomínios, que compartilho agora de forma resumida.


Primeiramente, considerando que a última grande revolução ocorrida neste milênio foi quando tudo foi para na palma na nossa, com os smartphones. A partir daí temos tudo ao alcance de um toque no celular: Comida, compras, transações financeiras, relacionamentos, conversas, rotas, transporte, imagens de qualquer lugar, formas de ajudar alguém e uma infinidade de possibilidades.


Gerard Leonhard, um futurista preocupado com a humanidade, as relações e a ética em meio à tecnologia, traz alguns dados em relação ao que ainda está por vir. O mundo ainda irá mudar mais nos próximos 20 anos do que mudou nos últimos 300. E abraçar a tecnologia será a única alternativa que teremos, mas não devemos nos transformar nela. Ela representa o “como” da mudança e o ser humano representa o “porquê”. Quer dizer, a tecnologia está aí para nos servir e facilitar e não para tornarmos ser escravos dela.


Daqui para frente, tudo que puder ser digitalizado, será. O que não puder ser digitalizado se transformará em algo extremamente valioso. O digital será fácil e disponível para todos, o importante serão os valores e competências humanas como: emoção, criatividade, imaginação, resiliência, ética, empatia, consciência, valores, compaixão e intuição. Foque nisto.


O condomínio do futuro torna-se cada vez mais conectado, conveniente e sustentável. Mudanças que impactam na redução de custos e na maneira como nos relacionamos com o ambiente e as pessoas ao redor.


Conectado – O condomínio também está na palma da mão. Comunicação, procedimentos, informações, integração entre os condôminos, segurança, imagens das áreas comuns, portaria, pagamentos, prestação de contas, gestão, tudo de fácil acesso para todos.


Conveniente – Facilidades e espaços para diversas atividades de lazer, relaxamento e serviços, sem precisar se deslocar. Spas, áreas de convivência e serviços disponíveis. Condomínios agregando cada vez mais comodidade para os moradores.


Sustentável – Várias fontes de geração de energia, produção de energia através de placas fotovoltaicas (energia solar), aerogeradores (energia eólica) - gerando energia também para nossos carros elétricos que estarão nas garagens recebendo “carga” - reuso da água (tratamento de esgoto e armazenamento de água da chuva), hortas comunitárias.


Algumas tendências também impactam no modo de vida e gestão dos condomínios:

Envelhecimento da população, aumento da expectativa de vida, reforma da previdência (seremos um país de idosos com renda limitada), mais locatários (as novas gerações não comprarão imóveis, investirão em experiências), várias e diferentes formas de famílias, maior busca pela qualidade de vida e bem estar, crescimento da economia colaborativa, valorização das experiências que o condomínio proporciona.


E a gestão deste condomínio do futuro é digital, tem foco na sustentabilidade, com redução de custos, proporciona facilidades aos condôminos, exigindo cada vez mais conhecimentos, criatividade, planejamento e responsabilidade socioambiental. O síndico atua na prevenção e solução de problemas e conflitos, cada vez mais qualificado, busca sempre conhecimentos e atualização, planeja, é responsável e ético, tem boa interação interpessoal, atende cada vez mais às exigências, faz o que importa e é um líder conectado com a tecnologia e as pessoas.


O certo é... O futuro é hoje e ainda temos grandes desafios pela frente!

Feliz 2018!


Ariane Padilha

Artigo publicado na edição de Jan/2018 - Jornal ClickSíndico

© 2017 - Fator G  Condomínios / Consultoria Especializada em Gestão Condominial

Porto Alegre/RS - Brasil
51.99643.0213